Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

quinta-feira, 20 de junho de 2013

CUT defende avanços dos últimos anos, mas vê protestos como 'grito de alerta'!

CUT defende avanços dos últimos anos, mas vê protestos como 'grito de alerta'

Vagner Freitas afirma que 'o muito que foi feito' na era Lula e Dilma ainda é pouco do ponto de vista das necessidades do país. E alerta para que movimento não se deixe 'aparelhar por oportunistas'
por Redação RBA publicado 19/06/2013 16:29, última modificação 19/06/2013 18:23
0 Comments e 0 Reactions
MÍDIA NINJA. CC
coca_midianinja.jpg
Na Paulista um estande da Coca-Cola foi queimado ontem. Para Freitas, é preciso analisar os novos movimentos
São Paulo – O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, disse ontem (18) que vê com “muito prazer” as ruas cheias de jovens se manifestando, mas alerta para que os protestos não acabem “aparelhados por oportunistas” que desejam colher capital político da situação. 
“Esperamos que o movimento tenha maturidade para não se deixar aparelhar”, expressou. “Os veículos da grande mídia, que sempre foram avessos à mobilização, agora estão elogiando. Não estou vendo ninguém falar em dificuldade com o trânsito. É preciso tomar cuidado.”
Vagner Freitas lembra que os problemas sociais do país foram criados pelos governos que precederam as administrações petistas – e que, agora, seus representantes querem imputar a origem dos protestos a uma suposta incompetência da presidenta Dilma Rousseff. 
“Em protestos como esses, até os políticos tradicionais, que construíram a crise que o Brasil viveu, de uma completa falta de perspectiva, agora eles vêm para a imprensa querer imputar toda essa responsabilidade para o governo federal”, atesta. “Estão de olho nas eleições de 2014.”
O presidente da CUT analisa que o Brasil melhorou muito nos últimos dez anos. “As ações para tirar milhões da linha de pobreza e colocá-los como cidadãos, a recuperação do poder de compra, o salário mínimo, sem dúvida são questões importantíssimas.” No entanto, reconhece que ainda falta um longo trajeto pela frente. “As políticas públicas em geral – educação, saúde, transporte, segurança – estão muito longe de atender às necessidades da população. Hoje, para ter bem-estar social, você precisa pagar por todos os serviços – que deveriam ser oferecidos pelo Estado.”
Daí que o sindicalista encare os protestos que se espalham pelo país como um “bom grito de alerta” para a presidenta Dilma Rousseff. “O governo não pode achar que as coisas no Brasil vão de vento em popa”, cutucou. “O muito que foi feito é pouco do ponto de vista das necessidades que nós temos. Muito foi feito na comparação com o desmando que se teve antes do governo Lula.” 
Para Vagner Freitas, não basta apenas construir um país de classe média. “Boa parte dos manifestantes é de classe média”, lembra, “mas precisa de uma renda absurda para pagar serviços que são de responsabilidade do Estado.”
Por fim, o presidente da CUT afirma que a central está fazendo uma reflexão para compreender o que está acontecendo nas ruas do país. “Queremos tirar aprendizado deste movimento”, anuncia, lembrando que a mobilização, que começou como revolta contra o preço abusivo do transporte público, deve aprender com movimentos anteriores. 
“Um movimento precisa ter conquistas, com começo, meio e fim. Precisa ter uma pauta que discuta com a sociedade. O momento de agitação passa, e é preciso apresentar propostas.”.
Link:

Nenhum comentário: