Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Comércio varejista de SP tem crescimento de 4,4% em Abril!

Vendas de eletrodomésticos e veículos elevam faturamento do comércio em São Paulo

17/07/2013 - 14h50 - Marli Moreira - Repórter da Agência Brasil

São Paulo - O faturamento do comércio varejista paulista diminuiu 1,2%, em abril, na comparação com março, atingindo o valor de R$ 38,4 bilhões. Em relação a igual mês do ano passado, no entanto, houve um aumento de 4,4%, segundo a Pesquisa Conjuntural do Comércio Varejista no Estado de São Paulo, da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP).
O novo levantamento é feito com base em informações da Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo (Sefaz) com dados referentes à 83% dos estabelecimentos comerciais paulistas, de 16 regiões e de dez segmentos.
A pesquisa mostra que, na comparação com abril do ano passado, as empresas aumentaram o faturamento em 13 das 16 regiões analisadas. Houve queda em duas (na região do litoral, com recuo de 7,7%, e em Jundiaí, com redução de 9,1%). Na área de Araraquara, o resultado ficou estável.
Entre as localidades com melhor desempenho, destacam-se Guarulhos, onde houve alta de 14%, e Sorocaba, de 11,5%. Em nove das regiões com crescimento, o nível ficou acima da média registrada no estado (4,4%).
As lojas de eletrodomésticos e eletroeletrônicos foram as que mais faturaram, com alta de 29,8% sobre abril de 2012. Nesse segmento, a maior taxa de expansão foi encontrada nas regiões de Ribeirão Preto (78%) e Campinas (72%). As concessionárias de veículos tiveram elevação de 17,2%. Já nas lojas de departamentos, o movimento teve queda de 21,7% e, nos supermercados, de 2,9%.
No período de janeiro a abril, as lojas de vestuário aparecem com o maior nível de crescimento (3,8%) sobre o primeiro quadrimestre de 2012. O destaque é a expansão de 53,8% em Jundiaí. Essa mesma região, porém, é a que teve a queda mais expressiva, de 18,1%, no que se refere às vendas em lojas de departamento. Ao longo dos quatro meses, o setor acumula na média uma redução de 8%.
A pesquisa aponta ainda que, na cidade de São Paulo, o comércio varejista conseguiu avanços tanto sobre março, com taxa de 2,1%, quanto na comparação com abril do ano passado, com 7%. No acumulado de janeiro a abril, o resultado foi 0,5% menor do que em igual período de 2012.
Entre os segmentos que mais se sobressaíram em abril ante o mesmo mês do ano passado, na capital paulista, está o de revendas de veículos, com alta de 31,4%, e o melhor nível de todas as regiões.
Edição: Juliana Andrade
Link:

Nenhum comentário: