Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sábado, 6 de julho de 2013

Sobre o PT, a Esquerda e as Massas! - por Diogo Costa!

Sobre o PT, a Esquerda e as Massas! - por Diogo Costa!  

Pequenas legendas de Esquerda não conseguem se enraizar entre os trabalhadores e nem eleger bancada representativa de deputados federais, com exceção do PSOL que, mesmo assim, tem uma bancada de apenas 3 deputados federais.


Volta e meia surgem vozes do senso comum a dizer que o PT se "divorciou" dos movimentos sociais, estudantis, dos sindicatos, das ruas e das massas, etc. É mesmo? Vejamos.

-O PSTU existe há vinte anos, disputou três eleições presidenciais e na última, em 2010, fez 0,08% dos votos.
-O PCO existe há dezoito anos, disputou três eleições presidenciais e na última, em 2010, fez 0,01% dos votos.
-O PSOL existe há oito anos, disputou duas eleições presidenciais e na última, em 2010, fez 0,87% dos votos.
-O PCB existe há noventa e um anos, depois da briga com o oportunista, renegado e quinta-coluna Roberto Freire (PPS), nos anos 90, disputou uma única eleição presidencial, em 2010. Fez 0,04% dos votos.

O PSTU, o PCO e o PCB até hoje não conseguiram eleger um mísero deputado federal sequer. O PSOL hoje conta com a "imensa" bancada de três deputados federais... É o PT que se "divorciou" das ruas ou são os outros partidos de esquerda aqui citados que infelizmente só convencem as paredes de seus próprios quartos? 

Quem está dissociado das massas populares, é o PT? Não foi por acaso o PT que fez em 16% dos votos no primeiro turno da disputa em 1989? E 24% em 1994, e 32% em 1998, bem como conseguiu fazer 46% em 2002, 48% em 2006 e 47% em 2010? E uns e outros ainda tem coragem de dizer que o Partido dos Trabalhadores "se afastou das massas"!

Quem sabe vamos lutar para eleger o Zé Maria do PSTU, em 2014, e cobrar dele que faça todas as reformas que a esquerda defende desde sempre! Não seria uma beleza? Lembro apenas que o PSTU não tem um único parlamentar no Congresso Nacional, talvez consiga fazer as reformas com uma varinha mágica de condão! 

O PT (que alguns pensam equivocadamente ter a força do PSUV), infelizmente não tem sequer 1/6 dos parlamentares no Congresso Nacional! Como não ter um governo de coalizão dentro deste cenário?

Esse é o dilema! 

Quando o PSOL, o PSTU, o PCO e o PCB elegerem uns 20 ou 25 deputados federais cada um, aí a correlação de forças no parlamento começará a mudar... Aliás:

-Porque cargas d'água o PSTU, que existe há 20 anos, não consegue eleger um único deputado federal? 
-Porque cargas d'água o PCO, que existe há 18 anos, não consegue eleger um único deputado federal? 
-Porque cargas d'água o PCB, que existe há 91 anos, não consegue eleger um único deputado federal? 
-Porque cargas d'água o PSOL, que existe há 08 anos, não consegue eleger mais do que a "imensa" bancada de 03 deputados federais?
-Porque estes partidos de esquerda não conseguem se aproximar das massas?

Lamentavelmente, urge constatar que tirando o PT, que é um partido de massas, os outros partidos de esquerda no Brasil infelizmente não falam às massas, não alcançam as massas e não tem base social real. Somados, são menores do que o PT era em 1982, há incríveis 31 anos já passados!

Sabendo que o PT tem apenas 1/6 do parlamento, forçosamente isso quer dizer que os outros 5/6 do parlamento estariam, em tese, em disputa para os outros partidos de esquerda. No entanto, esses partidos não conseguem aumentar a sua base social e, somados, elegem apenas 03 deputados federais. Isso é um sintoma incontestável de que a tática e o discurso desses partidos culmina, ao fim e ao cabo, em sectarismo e principismo, logo, não dialogam com a vida real do povo brasileiro. 

Na prática, vislumbra-se o quão equivocada é a tática atual do PSOL, do PSTU, do PCO e do PCB. Essa tática de bater violentamente no PT, para tentar ficar com nacos de suas bases, é contraproducente e infantil. Primeiro, porque com essa tática não disputam os já famosos 5/6 dos votos que os brasileiros não conferem ao PT para o parlamento. Segundo, porque obviamente essa tática apenas fraciona (ou tenta fracionar) os já parcos 1/6 de votos parlamentares que o PT tem.

O problema das esquerdas em Pindorama, infelizmente, segue sendo o sectarismo pueril. O PSOL chama o PT de traidor. O PSTU chama o PSOL de pelego. O PCO chama o PSTU de renegado. E o PCB diz que todos esses são burgueses e que somente ele é que representa a vanguarda do proletariado! Enquanto isso, o PT segue sendo o único partido de esquerda de massas no Brasil e os outros continuam brigando entre si, sem base social real e cada vez mais principistas, dogmáticos e sectários!

Enquanto ficarem só na crítica e elegerem, em conjunto, a "imensa" bancada de três deputados federais, pouca coisa vai avançar! Esses partidos não são a 'vanguarda' da classe operária no Brasil? Porque em 2010, somados, fizeram somente 01% dos votos na eleição presidencial? 

Enfim, lamento ter que repetir isso pela milésima vez. Muitos certamente não irão gostar. Paciência... O Partido dos Trabalhadores é o único partido de massas no Brasil atual, gostem ou não os seus habituais detratores!

Entendem agora o porquê da luta inglória do PT contra as forças que sempre dominaram este país? Onde está a esquerda que "não se divorciou" das massas para ajudar o PT a fazer as transformações sociais? A verdade nua e crua é que temos partidos de esquerda que não alcançam a grande massa da população brasileira, eles é que precisam encontrar e convencer a massa, não o PT!

Quanto ao PT, segue a sua luta desigual, onde tem apenas 1/6 dos parlamentares no Congresso Nacional. Onde é a cabeça de um governo de coalizão, eivado de contradições, justamente porque a esquerda que se pretende revolucionária elege, em conjunto, a "imensa" bancada de três deputados federais...

Finalmente, constata-se que entre o sonho e a realidade vai um longo caminho a ser percorrido. Espero que os protestos do mês de junho de 2013 se traduzam em algo de concreto para 2014, no que tange ao parlamento nacional.

As ruas são importantíssimas, mas, para desespero de alguns, ainda continuam sendo necessários os votos de 50% dos deputados e senadores para se aprovar um simples projeto de lei. E 60% de votos no Congresso Nacional para se aprovar Emendas Constitucionais.


Link:

https://www.facebook.com/diogosho/posts/4410967570737

7 comentários:

Ulisses Vieira disse...

O PSTU em suas campanhas eleitorais não recebe dinheiro de empreiteiras e de outros grupos econômicos! Os mesmos grupos que financiam o PSDB financiam o PT!

Marcos Doniseti disse...

É claro que o PSTU não recebe dinheiros das grandes empresas. Afinal, para que isso venha a acontecer é preciso, antes, ter votos, o que não é o caso do PSTU, como fica bem claro, aliás, pelo texto do Diogo Costa.

Ulisses Vieira disse...

O que eu entendi é que vc acha aceitável receber doações de empreiteiras e outros grupos econômicos. Os pequenos partidos de esquerda são sistematicamente censurados, marginalizados e suas propostas não chegam às massas. É necessário democratizar a mídia. Se o critério é ter votos, Tiririca está bem na foto...

Marcos Doniseti disse...

O que eu disse foi outra coisa: É que o PSTU, por ter tão poucos votos, não é um partido que atraia o interesse dos empresários.

Afinal, porque eles investiriam tanto dinheiro num partido que consegue meros 0,08% dos votos em uma eleição presidencial, não é mesmo?

Obs: O texto que publiquei no blog não é de minha autoria, mas do Diogo Costa, ok?

Marcos Doniseti disse...

Enquanto o Brasil for uma Democracia Representativa, (à qual tenho dúvidas se seria mantida caso o PSTU chegasse ao poder) o critério principal é ter votos populares, sim.

E se o fato do Tiririca ser bem votado é mal visto pelos integrantes do PSTU, então sugiro que os militantes do partido façam o favor de conversar com os eleitores dele a fim de mostrar porque eles estão equivocados em votar no Tiririca, oras!

Quem os impede de fazer isso? Ao que me consta, ninguém.

Marcos Doniseti disse...

Com relação ao recebimento de dinheiro de grandes empresas pelos partidos políticos: sou contra, tanto que defendo uma Reforma Política que acabe com o financiamento privado de campanhas eleitorais e se implante o financiamento pública das mesmas, com base em regras claras e transparentes.

Marcos Doniseti disse...

Aliás, ao que me consta, o PT é o único dos grandes partidos brasileiros que defende uma Reforma Política que elimine o financiamento privado de campanhas eleitorais e adote o financiamento público das mesmas.

E qual é a posição do PSTU a respeito, afinal?