Frases para não se esquecer!

"O que ameaça a Democracia é a fome, é a miséria, é a doença dos que não tem recursos para enfrentá-la. Esses são os males que podem ameaçar a Democracia, mas nunca o povo na praça pública no uso dos seus direitos legítimos e democráticos.". - Presidente João Goulart, em 11/03/1964.

Joseph Pulitzer: "Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma."

"O sigilo não oferecerá nunca mais guarida ao desrespeito aos direitos humanos no Brasil"

(Presidenta Dilma Rousseff, ao sancionar a criação da Comissão da Verdade)

Emiliano Zapata: “Mais vale, homens do Sul, morrer de pé que viver de joelhos!”

sábado, 2 de novembro de 2013

Indústria de transformação foi destaque na criação de empregos, mostra Dieese!

Indústria de transformação foi destaque na criação de empregos, mostra Dieese

30/10/2013 - 13h38 - Fernanda Cruz - Repórter da Agência Brasil


São Paulo – A indústria de transformação criou 73 mil postos de trabalho no país em setembro, uma alta de 2,5% em relação a agosto. O setor se destacou em sete regiões analisadas na Pesquisa de Emprego e Desemprego, divulgada hoje (30) pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade) e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).
Na região metropolitana de São Paulo, a construção civil teve o melhor desempenho entre os setores analisados, sendo 8,9% superior a 2012. 
De acordo com o coordenador de Análise do Seade, Alexandre Loloian, o setor, que apresentou oscilações fortíssimas nos últimos anos, apresentou essa expansão com as novas incorporações lançadas na região. “E [o aumento também se deve] ao crédito, que entrou nos eixos. O setor ainda tem espaço para crescer bastante”, declarou. No país, a construção criou 6 mil postos de trabalho, crescimento de 0,4% na comparação com agosto.
Segundo o estudo, que apontou que a taxa de desemprego no país recuou de 10,6% em agosto para 10,3% em setembro, o setor de comércio e reparação de veículos e motocicletas também se destacou, criando 51 mil postos. Isso representa uma alta de 1,3% em relação a agosto. O setor de serviços ficou praticamente estável, com crescimento de 0,1% e criação de 16 mil postos.
Com relação ao rendimento dos trabalhadores, cujo último levantamento refere-se ao mês de agosto, houve ligeiro aumento no caso dos ocupados (0,6%) e dos assalariados (0,4%). Os valores monetários passaram a valer R$ 1.643 e R$ 1.685, respectivamente.
Quanto ao tipo de contratação, o estudo apontou crescimento dos trabalhadores sem carteira e autônomos, em detrimento dos com carteira assinada. Trabalhadores sem carteira assinada cresceram 1,5% em setembro, na comparação com agosto. Já os autônomos tiveram alta de 1,3%. Os empregados com carteira assinada subiram 0,4%.
Edição: Juliana Andrade
Link:

Nenhum comentário: